X
X

 

 


Quando ir:
O parque pode ser visitado o ano inteiro. Fique atento apenas no período de chuvas. O verão paulista costuma ser bem atordoado. Por conta, do grande volume pluviométrico, a cidade sofre constantemente com as enchentes em praticamente todas as regiões da cidade. Por isso, fique ligado, em previsões meteorológicas, para que não seja pego de surpresa.

O que levar:   Protetor solar, chapéu ou boné, calçados especiais para caminhadas, bermudas e/ou calças de moletom, sarja ou cotton.

Como chegar: Vindo do interior ou outros estados, seja qual for a rodovia, você terá que seguir pelas marginais Pinheiros e/ou Tietê. Vindo do Rio de Janeiro, rodovia presidente Dutra, BR 116; Minas Gerais, rodovia Fernão Dias, BR 381; sul do país, rodovia Régis Bittencourt, BR 116; interior paulista, as opções são várias, rodovia Anhanguera, SP 330, para quem vem da Região de Ribeirão Preto; rodovia Washington Luís, SP 310, para região de São José do Rio Preto; rodovia Marechal Rondon, SP 300 e rodovia Castelo Branco, SP 280, para região de Araçatuba; para quem vem da região de Presidente Prudente, rodovia Raposo Tavares, SP 270. No tópico Caminho, é sempre demarcado o caminho percorrido pela equipe, entretanto, como já estamos na região metropolitana da cidade, onde encontram-se os parques, o Caminho traz todas as entradas citadas acima. Vale lembrar que há um rodízio municipal na cidade, por isso confira antes o dia e número da placa, para que não leve uma multa e alguns pontos na carteira. Esta informação pode ser obtida em jornais diários.
Veja o mapa da localização exata do parque

Onde ficar: Para quem vem de outra cidade, não precisa se preocupar, a infra-estrutura de São Paulo é excelente, existem muitas opções de hotel pela cidade, que podem ser encontrados em um guia impresso, a disposição do público no terminal rodoviário do Tietê. Bem próximo ao terminal você encontra uma boa opção, o Novotel, na avenida Zaki Narchi, próximo ao Shopping Center Norte.

Onde comer: Existem bons restaurantes no alto da Cantareira. Mas existem outras opções, o Shopping Center Norte é uma delas, apesar de ter muito haver com ecoturismo tem a típica cara de São Paulo. O parque também possui áreas para piquenique e uma pequena lanchonete. Mas, não se esqueça faça uma refeição leve, nada que vá comprometer sua caminhada. E não esqueça, recolha seu lixo.

O que ver (fauna): Apesar de ser um parque urbano e bastante frequentado - são feitas diversas atividades culturais e serve também como ponto de encontro para quem pratica atividades físicas ao ar livre -, podemos encontrar algumas espécies interessantes como serelepes, bugios, quatis, macucos, garças, socós, jacus e lagartos-teiú.

O que ver (flora): Localizado em um Planalto Atlântico, caracterizando o relevo do parque com a presença de colinas que possuem altitudes em torno de 790 metros. A hidrografia da região é composta por vários lagos, além do córrego Guaraú e o Ribeirão Tremembé. Sua vegetação é representada basicamente por fragmentos da floresta ombrófila densa (Mata Atlântica). A partir de 1930, foram introduzidas diversas espécies na área do Horto Florestal. Nativas, como o jacarandá-paulista, pinheiro-do-paraná, carvalho-nacional, pau-pereira e espécies exóticas. Na região sul da unidade foram plantados exemplares de peroba, canela, quineiro e sapucaia; bordão-de-velho, amendoim-bravo, grevílea entre outras. Podem ser vistas ainda na região dos lagos, principalmente árvores altas de folhagem escura, que plantadas em charcos desenvolvem raízes acima do solo, conhecidas como pinheiro-do-brejo.
Todas essas belezas naturais são protegidas pelo Estado e por São João Gualberto, protetor das florestas do Estado de São Paulo, a imagem do santo padroeiro esta no parque desde 1957, quando foi trazida por monges beneditinos de Valombrosa, na Itália.

Informações úteis:  São Paulo, possui uma população de mais de 10 milhões de habitantes, sendo uma das maiores cidades do mundo, ficando atras somente da Cidade do México. Possui infra-estrutura completa. De sistema bancário, restaurantes, hotéis, hospitais. Ë aconselhável o uso de um guia da cidade - impresso -, pois, que vem para São Paulo à passeio, jamais irá apenas em um único lugar. Por esta complexidade da cidade é que não indicamos lugares específicos para alimentação e hospedagem. Esses guias podem ser encontrados no próprio terminal rodoviário do Tietê. O DDD da cidade é (0xx11). O Parque Estadual Alberto Löefgren, também conhecido como Horto Florestal, foi criado pelo Decreto Estadual nº 335, de 10 de fevereiro de 1896, com uma área de 174 hectares.
O parque fica na rua do Horto, nº 931 e está aberto das 6:00h as 18:00H de sábado a Domingo, maiores informações poderão ser obtidas através do telefone 0xx11 6952-8555, e-mail: iflorest@eu.ansp.br

Fique ligado: respeite os monitores e interaja com eles; não mate, não maltrate, nem alimente animais; não recolha sementes, frutos, plantas ou qualquer outro tipo de resíduo da mata; não deixe nenhum tipo de lixo e se por acaso vir algum jogado ao chão, recolha-o; respeite os demais visitantes e harmonizem-se com eles; não leve animais domésticos para o parque; nunca saia da trilha; jamais utilize fogo e sempre faça as trilhas acompanhados por guias.

   
 
Clique na imagem para ampliá-la
 
   
 

Apoio
Horto Florestal
Revista Eco Turismo
Secretaria Estadual de Meio Ambiente de São Paulo

Nota
A Pick-upau é uma organização não-governamental sem fins lucrativos de caráter sócio-ambiental. Não indicamos nem prestamos nenhum serviço de turismo. O Portal Pick-upau é especializado em educação e jornalismo ambiental, apenas divulgamos cultura regional, esportes de aventura e ecoturismo como forma sustentável de desenvolvimento local.


Expedição: Os Bandeirantes

 

 
PRESERVAR O PATRIMÔNIO NATURAL E CULTURAL DO BRASIL
É DEVER DE TODOS.


Copyright 2001-2002 - Pick-upau