Reciclando Ideias!
Porta-clips, porta-lápis, suporte de anotações e canetas tudo feito de material reciclado. Todos provenientes do reaproveitamento de embalagens longa vida. Esses são apenas alguns exemplos de produtos feitos a partir de pellets reciclados.

Pellets (grãos) compostos de plástico e alumínio reciclados de embalagens longa vida. Podem ser utilizados como matéria-prima para fabricação de peças plásticas como os materiais de escritório.
Telhas obtidas a partir da prensagem a quente de camadas de plástico de alumínio recicladas de embalagens de longa vida.

Suporte de vassouras recicladas de embalagens longa vida e cerdas recicladas de garrafas PET.

Livros, agendas, folders, enfeites muitos produtos podem ser feitos a partir da reciclagem de outros. Se liga! Atualmente, calcula-se que em torno de 45% de todo o lixo urbano consiste em material não degradável, principalmente embalagens, que não param de crescer, na proporção em que aumentam as ofertas de produtos descartáveis e de hábitos de consumo decorrentes.
 
 
Fique atento!
Embalagens como os enlatados (aço) transformam-se em óxido de ferro em cerca de 10 anos. Fique atento! As propostas da Agenda 21 defendem uma atenção maior a questão ao consumo e novas políticas nacionais que estimulem a mudança para modelos sustentáveis de consumo.

 
+ Sustentabilidade
Evite embalagens como o isopor que não pode ser reciclado, mas na pior das hipóteses pode ser utilizado como enchimento de ‘pufes’ e outros estofados.
Quem é responsável pelo lixo? Todos nós somos responsáveis. Desde o cidadão comum, ao educador, passando pelo industrial, pelo comerciante, até os representantes do poder público.

Portanto o envolvimento de todos na coleta seletiva e na reciclagem deve ser proporcional às suas funções.
 
 
 
Apoio

Cyberação
 

O desenvolvimento sustentável só poderá ser alcançado se conseguirmos eficiência na produção e mudarmos os padrões de consumo. Discursos sobre proteção do meio ambiente, combate ao aquecimento global, prática de consumo ecológico e sustentável entre outros temas de grande importância, também não terão nenhum efeito se permanecerem apenas como discursos. Já sabemos o que temos que fazer, agora (e já passou da hora) chegou a hora de agirmos.

A cyberação “Tempo” é mais uma reflexão sobre a coleta seletiva, reciclagem e novos padrões de consumo do mundo. Existem dezenas de documentos relacionados com o assunto, veja as dicas do Pick-upau, participe da pesquisa e comece a fazer a diferença!

Mais do Mesmo...
Até seis meses de vida para o papelão!
De onde vem o lixo?

Lixo domiciliar: gerado nas residências, escritórios, comércios etc. São restos de alimentos, plásticos, papéis, metais, vidros entre outros materiais.

Lixo industrial: provenientes de processos industriais, em geral são subprodutos de fabricação, lodos e outros resíduos.

Lixo de vias públicas: resultado da limpeza de bueiros, bocas-de-lobo, varrição de ruas, terrenos baldios etc. Terra, folhas, entulhos, galhos são os materiais mais comuns.

Os resíduos também podem vir dos serviços de saúde, gerado por hospitais, clinicas veterinárias, ambulatórios, farmácias, institutos de pesquisa etc. Também muito comum nas grandes cidades são os detritos da construção civil, produzidos a partir de reformas e novas construções.
 
 
Semanas e até meses são necessários para a degradação de papéis em geral. Todos os países, sobretudo os mais ricos e desenvolvidos (Estados Unidos, Japão, França, Inglaterra etc.), deveriam esforçar-se em promover padrões sustentáveis de consumo.

Para que os países em desenvolvimento (Brasil, Índia, México etc.) não destruam copiosamente o meio ambiente para atingir níveis cada vez maiores de produção, muitas vezes ineficientes.

A Agenda 21 traz propostas para administração do lixo sólido em quatro áreas-programa: Redução do lixo, Uso repetido e reciclagem, Tratamento e despejo ambientalmente saudável e Ampliação dos serviços de lixo.
 
 
A embalagem longa vida é composta por três materiais básicos: papel, plástico e alumínio. A primeira etapa da reciclagem consiste na separação do papel através do uso de um grande liquidificador com água, chamado hidrapulper, que separa as camadas de papel de plástico e alumínio através da agitação. O papel obtido é utilizado na fabricação de caixas de papelão e papel reciclado.

As camadas de plástico e alumínio são usadas para fabricação de placas e telhas, utilizadas na construção civil, ou peças plásticas. Outro procedimento disponível é a separação do plástico e alumínio através da tecnologia a plasma térmico, que transforma o plástico em parafina e recupera o alumínio na forma de barras do metal puro (Departamento de Desenvolvimento Ambiental da Tetra Pak).

Mais uma categoria de lixo
 
 
Uma nova categoria de lixo já acumula pilhas de resíduos em vários países do mundo. O lixo tecnológico gerado por computadores, monitores, periféricos e outros equipamentos de informática. Mas em um país como o Brasil, que apenas 10% - (IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) - da população tem acesso a essa tecnologia, reciclar e reaproveitar é uma boa alternativa. Escolas públicas, organizações não-governamentais, associações e outras instituições vão agradecer essa colaboração.
 



 
Coleta seletiva, reciclagem e coerência...
 
O Pick-upau reduziu em 90% o consumo de papel, utilizando folhas de rascunho (os dois lados) e empregando o papel reciclado novo somente em documentos oficiais.

Todos os trabalhos da organização (textos, matérias, anotações, inclusive esta cyberação) são feitos diretamente nos computadores. O Tema coleta seletiva e reciclagem é assunto comum nas ações e eventos do Pick-upau.
Bibliografia