Pick-upau nas Redes Sociais

 

Notícias+

“Villas” estreia na maior estação de metrô de SP
Sé recebe exposição sobre guaranis e José de Alencar

A exposição “Villas” acaba de estrear na estação Sé do Metrô de São Paulo, a maior e mais importante ligação entre as linhas do sistema metroviário da capital. A mostra do fotógrafo J. Andrade, traz 41 imagens da comunidade guarani m’bya da Terra Indígena Tenonde Porã, a maior aldeia da cidade de São Paulo, localizada na APA Capivari-Monos, extremo sul da capital. As imagens foram produzidas ao longo de dois anos quando Andrade conviveu semanalmente com a comunidade.

Divulgação/Pick-upau

A mostra também faz referência a personagens ilustres como Charles Darwin que dá nome ao setor de pesquisa da Agência Ambiental Pick-upau, que realizou a exposição e ao escritor José de Alencar que compõe as legendas com trechos de obra mais importante, “O Guarani”.

Divulgação/Pick-upau

Ivan Luis Dias Lima, operador de máquinas, diz não conhecer a aldeia Tenonde Porã, mas acha importante a evolução que eles tiveram com o decorrer do tempo e o contato com os ‘homens brancos’. Já a pedagoga, Marina Pinheiro Prades, diz não ter o hábito de observar as exposições do metrô, mas ficou atraída pela exposição Villas. “Encantei-me com a simplicidade das imagens e com a qualidade fotográfica da exposição, além de ser um tema muito cativante”, completou.

Reprodução

A mostra fica em cartaz na Sé até 30 de abril. Para quem for curtir a Virada Cultural 2011, pode conferir a exposição durante 24 horas que o metrô estará em funcionamento.

Divulgação/Pick-upau

Serviço
Exposição “Villas” – Guarani M’bya Tenonde Porã
Tema: Questão Indígena
Onde: Metrô da cidade de São Paulo
Quando: de abril a junho de 2011
Quanto: Gratuito

Divulgação/Pick-upau

Metrô – Estação Sé (Linha Azul)
Endereço: Praça da Sé, s/ n°
Data: Abril de 2011
Características: Estação enterrada de integração da Linha 1-Azul e Linha 3-Vermelha. Composta por mezanino de distribuição e dois níveis sobrepostos com duas plataformas laterais e uma central (um conjunto por linha) com estrutura em concreto aparente e aberturas para iluminação natural. O principal acesso integra-se com a praça no nível do passeio.
Capacidade: 100.000 passageiros/hora/pico
Área Construída: 39.925 m2
Inauguração: 17/02/1978

Divulgação/Pick-upau

Sites:
Pick-upau: http://www.pick-upau.org.br
Metrô de SP: http://www.metro.sp.gov.br/

Você sabia que Metrô de SP é o mais lotado do mundo

No ano passado, foram transportados 11,5 milhões de passageiros a cada quilômetro de linha, um aumento de 15% em relação a 2008

Segundo dados da Companhia de Metrô, São Paulo alcançou a marca de 11,5 milhões de passageiros transportados por quilometro de linha em 2010. Esse número é 15% maior do que o divulgado em 2008, quando 10 milhões de usuários foram transportados. Esta é a maior concentração de pessoas em um único transporte no mundo.

Divulgação/Pick-upau

Comparativamente, em 2008 o metrô de Moscou (Rússia) transportou 8,6 milhões de pessoas para cada quilometro de trilhos e o de Xangai (China) transportou cerca de 7 milhões. Esses dados foram divulgados pela Comunidade de Metrôs (COMET, sigla em inglês), essa organização traz os representantes dos 12 maiores sistemas de metrô do mundo. A COMET ainda não divulgou os dados de 2010.

De acordo com o “Relatório da Administração de 2010” do Metrô, 2,56 milhões de pessoas passaram pelas catracas a cada dia útil em São Paulo. Esse número subiria para 3,5 milhões de viagens por dia caso as baldeações fossem levadas em conta. O balanço patrimonial da empresa divulgou que esse número foi 6,8% maior do que em 2009.

Divulgação/Pick-upau

O resultado da pesquisa "O Metrô segundo seu usuário: uma avaliação do serviço" do ano passado mostrou que a satisfação dos usuários do metrô diminuiu. Em 2009, 67% dos entrevistados classificaram o metrô como “muito bom” ou “bom” já em 2010 esse número caiu para 60%. Tal pesquisa é realizada desde 1974.

"Podem creditar-se tais resultados à crescente demanda de usuários, que aumenta a complexidade de operação do serviço e uso do sistema, principalmente nos horários de pico", é o que diz o Relatório do Metrô.

José Geraldo Baião, Presidente da Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Metrô do Estado de São Paulo (AEAMESP), acha que a população só notará as melhorias daqui alguns anos. "O governo está investindo em sistemas de sinalização mais modernos, que vão permitir um intervalo menor entre os trens. Também é preciso pensar na expansão da rede."

Divulgação/Pick-upau

Já Altino de Melo, presidente do sindicato dos metroviários, disse que a expansão do Metrô está "décadas atrasada". "O desconforto é inevitável. Não só pela lotação, mas também pelo calor nos trens." Além disso, Melo menciona que o Estado deveria investir mais nas conexões entre as linhas.

Apesar de o Metrô de São Paulo ser considerado o mais cheio, ele ocupa apenas a 11º lugar quando a comparação diz respeito a movimentação, sendo feitas 975 milhões de viagens de passageiros por ano.

Divulgação/Pick-upau

Na lista que reúne 15 metrôs do mundo todo, o de São Paulo é o único sul-americano. Em primeiro lugar aparece de Tóquio (Japão), com 3,16 bilhões de viagens de passageiros/ano, o de Moscou (Rússia) em segundo, com 2,4 bilhões, e o de Seoul (Coreia do Sul) em terceiro, com 2,04 bilhões. O da Cidade do México aparece na lista, em 7.º lugar, com 1,4 bilhões. Esses dados foram obtidos na Comunidade de Metrôs (COMET).

Sobre o Pick-upau
O Pick-upau é uma organização não-governamental sem fins lucrativos de caráter ambientalista 100% brasileira dedicada à preservação e a manutenção da biodiversidade do planeta. Fundada em 1999, por três ex-integrantes do Greenpeace-Brasil e originalmente criada no Cerrado brasileiro, tem sua base, próxima a uma das últimas e mais importantes reservas de mata atlântica da cidade São Paulo, a maior metrópole da América Latina. Por tratar-se de uma organização sobre Meio Ambiente, sem uma bandeira única, o Pick-upau possui e desenvolve projetos em diversas áreas ambientais.
Acesse: www.pick-upau.org.br

Sobre o Projeto Darwin
O “Projeto Darwin” tem como principais características conhecer e divulgar os atributos naturais e culturais dos Biomas Brasileiros, com ênfase na Floresta Atlântica Tropical, incluindo áreas particulares, Unidades de Conservação e Terras Indígenas.
Além dos inventários biológicos das espécies predominantes da fauna e da flora (pesquisa), há o compromisso de sensibilizar o maior número de pessoas possíveis para tornar viável o desenvolvimento sócio-econômico das regiões inseridas no projeto e a preservação do ambiente. Outro aspecto relevante e diferencial do Projeto Darwin é o envolvimento de comunidades tradicionais como a Aldeia Guarani Tenonde Porã.
Acesse: www.darwin.org.br

Sobre os Guaranis
Os Guaranis M’bya estão em várias regiões da América do Sul, existem aldeias na Argentina, Paraguai e Bolívia. No Brasil se localizam principalmente na região do litoral, do Rio Grande do Sul até o Espírito Santo e outras regiões como no Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Tocantins. São a maior etnia indígena no Brasil somando aproximadamente 35 mil pessoas. Sendo um povo bastante religioso tem na execução de tarefas cotidianas a busca da harmonia com a natureza, da força espiritual de Nhanderu e do Sol, criado por ele. Diariamente a comunidade se encontra na Opy, a Casa de Reza, para cantar, rezar e dançar e os mais velhos ensinam as crianças o conhecimento ancestral. Na aldeia, além do cacique, a principal liderança é o Xeramoi, o nome do pajé Guarani. Os Guaranis sabem da importância de todos os seres e que cada elemento da natureza tem um espírito e buscam parceiros para impedir a destruição do planeta.

Da Redação
Com informações do Estado de São Paulo

 
 
Copyright 2011 - Pick-upau - Todos os direitos reservados - São Paulo - Brasil
     
 

Nas Redes

Agência Ambiental Pick-upau
Quem Somos
  Pesquisa Científica
Reflorestamento e Produção Florestal
corporativo@pick-upau.org.br Mitigação de Mudanças Climáticas
55 11 3571-3480 CECFLORA - Centro de Estudos e Conservação da Flora
São Paulo - SP Negócios Sustentáveis
  Publicações
  Acervo Técnico
  Central de Educação e Jornalismo Ambiental