Pick-upau tem patrocínio da Petrobras para estudar aves da Mata Atlântica
Organização e empresa assinam contrato de patrocínio para desenvolver projeto de pesquisa de conservação da biodiversidade no litoral paulista

06/04/2015 – A Agência Ambiental Pick-upau e a Petrobras, através do Programa Petrobras Socioambiental, firmaram contrato de patrocínio para realização de projeto voltado à conservação da biodiversidade no litoral norte de São Paulo. Nos próximos anos a Pick-upau realizará o Projeto Aves da Mata Atlântica, que será coordenado pelo Projeto Darwin que irá pesquisar grupos de Ramphastidae (tucanos, araçaris) e Psittacidae (papagaios, periquitos, maritacas), relações alimentares, biodiversidade relacionada e mudanças climáticas.

Petrobras/Divulgação

Sergio Pereira dos Santos, Gerente de Comunicação e Segurança de Informações da Unidade de Operações de Exploração e Produção da Bacia de Santos, da Petrobras e Andrea Nascimento, presidente da Pick-upau assinam contrato de patrocínio em Cubatão, SP.

O projeto prevê ainda o plantio de espécies nativas como a palmeira-juçara (Euterpe edulis Mart.) e a palmeira-jerivá (Syagrus romanzoffiana (Cham.) Glassman) e ações de sensibilização da sociedade sobre a conservação e a preservação da biodiversidade. “Aves da Mata Atlântica” será desenvolvido em quatro municípios do litoral norte de São Paulo, Ubatuba, Caraguatatuba, São Sebastião e Bertioga.

Para realizar parte das pesquisas a Agência Ambiental Pick-upau firmou parceria com a Fundação Parque Zoológico de São Paulo, que auxiliará na identificação e nos processos técnicos e laboratoriais do projeto.

“Aves da Mata Atlântica” era uma meta do Projeto Darwin e agora se torna realidade com o patrocínio da Petrobras. O CEO da Agência Ambiental Pick-upau, Julio Andrade, que coordenará o projeto fala da importância do patrocínio e das dificuldades que a empresa enfrenta. “Não é de hoje que a Petrobras investe em iniciativas de conservação, projetos voltados às espécies como peixe-boi, a baleia-jubarte e as diversas tartarugas-marinha são alguns exemplos, agora vamos poder ampliar os estudos para novas espécies”, diz Andrade.

Indagado sobre os problemas que a Petrobras enfrenta, Andrade diz que precisamos separar o joio do trigo. “O que está acontecendo na Petrobras é inconcebível, uma situação absurda que graças à Polícia Federal e ao Ministério Público esperamos que seja totalmente desvendada e devidamente resolvida. Espero, sinceramente, que todos os culpados sejam responsabilizados, não menos que isso, e que esse episódio sirva de exemplo para o setor governamental para a iniciativa privada e para a sociedade civil em geral”.

Petrobras/Divulgação

Cerimônia de assinatura do contrato de patrocínio entre a Petrobras e a Pick-upau, em Cubatão, SP.

Perguntado sobre o patrocínio de uma petrolífera, o CEO da Pick-upau, explica como a organização irá lidar com a situação. “A escolha sobre utilização de combustíveis fósseis foi da humanidade, não de uma única empresa, não podemos ser hipócritas quanto a isso. Outra coisa é preparar novas matrizes energéticas para o planeta, fontes que sejam limpas e renováveis, e a Pick-upau continuará a defender essas novas alternativas, como vem fazendo há 16 anos”, diz Andrade.

Sobre a Pick-upau
A Agência Ambiental Pick-upau é uma organização não governamental sem fins lucrativos de caráter ambientalista 100% brasileira, fundada em 1999, por três ex-integrantes do Greenpeace-Brasil. Originalmente criada no Cerrado brasileiro, tem sua sede, próxima a uma das últimas e mais importantes reservas de Mata Atlântica da cidade São Paulo, o Parque Estadual das Fontes do Ipiranga. Por tratar-se de uma organização sobre Meio Ambiente, sem uma bandeira única, a Agência Ambiental Pick-upau possui e desenvolve projetos em diversas áreas ambientais. Desde a educação e o jornalismo ambiental, através do Portal Pick-upau – Central de Educação e Jornalismo Ambiental, hoje com cerca de 50.000 páginas de conteúdo totalmente gratuito; passando por programas de produção florestal de espécies nativas de biomas brasileiros; reflorestamento de áreas degradadas e recuperação de fragmentos florestais; questão indígena, com ênfase na perpetuação de culturas tradicionais; comércio justo voltado às comunidades tradicionais e de vulnerabilidade social; políticas públicas, através da atuação em conselhos; neutralização de gases de efeito estufa e mitigação às mudanças climáticas através de projetos REDD, plantio de mudas e créditos de carbono; até a pesquisa científica, com ênfase na biodiversidade da fauna e flora. Possui herbário, biblioteca, viveiro florestal com capacidade para 250 mil mudas/ano, concessão para pesquisa em floresta com cerca de 116 hectares e inaugurou em 2015 o CECFLORA – Centro de Estudos e Conservação da Flora, na cidade de São Paulo.

Sobre a Petrobras
A Petrobras é uma sociedade anônima de capital aberto, cujo acionista majoritário é a União Federal (representada pela Secretaria do Tesouro Nacional), atuamos como uma empresa integrada de energia nos seguintes setores: exploração e produção, refino, comercialização, transporte, petroquímica, distribuição de derivados, gás natural, energia elétrica, gás-química e biocombustíveis.
Além do Brasil, estamos presentes em outros 17 países e somos líderes do setor petrolífero no nosso país. Expandimos nossas operações para estar entre as cinco maiores empresas integradas de energia no mundo até 2030.
Nossas ações e negócios se orientam por valores que incentivam o desenvolvimento sustentável, a atuação integrada e a responsabilidade por resultados, cultivando a prontidão para mudanças e o espírito de empreender, inovar e superar desafios.
Como forma de democratizar o acesso aos recursos e garantir a transparência, realizaremos seleções públicas nacionais e regionais no Programa Petrobras Socioambiental. Os processos seletivos serão elaborados com a participação de representantes de diferentes áreas da Petrobras, da sociedade civil e do governo. Quando abertas, as seleções públicas serão amplamente divulgadas no site da Petrobras e em outros meios de comunicação. Fonte: Petrobras
Saiba mais: www.petrobras.com.br

 

Sobre o Zoológico de São Paulo
Desde 1958 a Fundação Parque Zoológico de São Paulo proporciona entretenimento, desenvolve pesquisas e trabalha para a conservação das espécies mantidas em cativeiro, além de despertar a consciência ambiental da população por intermédio de suas três unidades: Zoológico, Zoo Safári e a Divisão de Produção Rural. Inserido no PEFI – Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, um dos mais importantes segmentos remanescentes de Mata Atlântica da cidade de São Paulo, o Zoológico e o Zoo Safári acolhem algumas das nascentes do riacho do Ipiranga e abrigam dezenas de espécies da fauna nativa. Com uma área de aproximadamente 900.000 m², o Zoológico e o Zoo Safári, além de abrigar as espécies nativas mantém uma população com cerca de 3.000 animais, representados por inúmeras espécies de mamíferos, aves, répteis, anfíbios e invertebrados. Dentre estes animais encontram-se espécies bastante raras e ameaçadas de extinção, como o gavial-da-Malásia, três das quatro espécies de micos-leão (mico-leão-preto, mico-leão-de-cara-dourada e mico-leão-dourado), rinocerontes, dentre outros. Vinculado à Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, o Zoo recebeu, desde sua abertura, mais de 85 milhões de visitantes, atendendo por ano um público de mais de 1 milhão e 600 mil pessoas.
Para manter todas as suas atividades, a Fundação conta com uma equipe de aproximadamente 400 funcionários efetivos, distribuídos nas áreas: técnica, administrativa e operacional, além de colaboradores nas categorias de estagiários, aprimorandos e voluntários. É com o esforço coordenado dessa equipe que a Fundação busca a conservação da fauna silvestre. Dentre estas áreas algumas são extremamente importantes para a manutenção da vida.

A Divisão de Veterinária que é composta principalmente por veterinários, tratadores, enfermeiros e técnicos de laboratório, é responsável pela saúde dos animais. A equipe desta área realiza vacinações, quarentenas, exames e cirurgias, além de atendimentos clínicos e odontológicos. Conta ainda com um programa de medicina preventiva. Na equipe da Divisão de Ciências Biológicas, subdividida nos setores de Aves, Mamíferos e Répteis, os biólogos são responsáveis pelo manejo reprodutivo, exposição e demais cuidados com as espécies mantidas em cativeiro.
Em conjunto com a equipe de biólogos e tratadores do parque, o PECA – Programa de Enriquecimento Comportamental Animal visa garantir o bem-estar dos animais. Para que haja eficiência no trabalho dos técnicos e garantia da saúde dos animais, uma dieta variada e equilibrada é muito importante. Por isso, o cardápio de cada um deles é elaborado por zootecnistas e biólogos e preparado cuidadosamente pela equipe do Setor de alimentação animal. Este setor recebe anualmente cerca de 1.500 toneladas de alimentos com excelente qualidade biológica e altos valores nutritivos, produzidos na Divisão de produção rural.
A pesquisa científica também faz parte do processo de evolução da Fundação, que tem parceria com a UNIFESP para detecção e prospecção de microorganismos de interesse biotecnológico em sua compostagem. Todo esse trabalho, que tem garantido a existência da Fundação, não teria sentido sem a educação ambiental. Por meio de seu Programa de Educação Ambiental e Inclusão Social, que aproxima a população dos trabalhos desenvolvidos pelas diversas áreas, o Zoológico busca despertar a consciência ecológica de seus visitantes, principalmente das crianças, em prol da conservação da biodiversidade. Fonte: Divisão de Educação e Difusão
Saiba mais: www.zoologico.com.br

Da Redação
Fotos: Petrobras/Divulgação

 
 
 
 
Copyright 2015 - Pick-upau - Todos os direitos reservados - São Paulo - Brasil
     
 

Nas Redes

Agência Ambiental Pick-upau
Quem Somos
  Pesquisa Científica
Reflorestamento e Produção Florestal
corporativo@pick-upau.org.br Mitigação de Mudanças Climáticas
55 11 3571-3480 CECFLORA - Centro de Estudos e Conservação da Flora
São Paulo - SP Negócios Sustentáveis
  Publicações
  Acervo Técnico
  Central de Educação e Jornalismo Ambiental