Notícias+


Ex-presidente do Condephaat recebe honraria da Pick-upau
Fernanda Falbo Bandeira de Mello foi conselheira da Pick-upau

11/12/2018 – A economista Fernanda Falbo Bandeira de Mello, formada da Universidade Estadual do Rio de Janeiro, ocupou muitos cargos na vida pública. Foi presidente do Condephaat – Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico, órgão subordinado à Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo; integrou o Conselho Estadual do Meio Ambiente de São Paulo – Consema; foi Coordenadora de Fiscalização Ambiental, da Secretaria do Meio Ambiente; presidiu a Comissão Especial – Ações para Controle Ambiental das Radiações Eletromagnéticas, pelo Município de São Paulo; foi presidente do Conselho de Defesa do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga – CONDEPEFI; entre outros cargos.

Reprodução

Fernanda Falbo Bandeira de Mello como presidente do Condephaat – Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico, órgão subordinado à Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo.



“A Bandeira, como costumava chama-la era uma pessoa de capacidade extraordinária, era objetiva e clara em seu raciocínio, como poucas vezes vi na vida. De fato, não se rogava a enfrentar um desafio, mas tinha a incrível capacidade de conciliação”, diz o CEO da Agência Ambiental Pick-upau, Julio Andrade.

Andrea Nascimento, ex-presidente da Agência Ambiental Pick-upau tinha a Fernanda como uma referência. “A Fernanda era muito boa em tudo que se propunha fazer, uma mulher intensa e aguerrida, atuava com justiça e se pautava pelo que era correto independente do que isso fosse lhe custar”, diz Nascimento.

Desde 2008 era conselheira da Agência Ambiental Pick-upau e atuou em várias causas da organização. Uma apaixonada pela conservação e a preservação do meio ambiente. Em reportagem publicada, no jornal Folha de São Paulo, em 25 de outubro de 2017, amigos e parentes descrevem a personalidade da ambientalista que escolheu a Serra da Mantiqueira como refúgio.

Reprodução

Fernanda Falbo Bandeira de Mello durante reunião na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, ao lado do ex-secretário Nacional de Biodiversidade e Florestas e Secretário Executivo do Ministério do Meio Ambiente, João Paulo Ribeiro Capobianco e do então deputado estadual Adriano Diogo.



Leia abaixo da matéria publicada na Folha de S. Paulo

"Deixa que eu sei fazer", dizia Fernanda desde criança. Frases como essa denotavam o espírito
autoconfiante que a imbuía. E não era da boca para fora – ela realmente levava a cabo aquilo que se propusesse a fazer. Aprendia as coisas rápido, com pouca observação. A excelência no que fazia impressionava quem a conhecesse, do irmão caçula a Andrea Matarazzo (PSD), com quem trabalhou nas esferas pública e privada. "Exemplar", diz o político sobre ela, lembrando a capacidade da economista de criar e concretizar projetos. "Deixou marcas muito fortes na minha vida."

Ambientalista convicta, anteviu a crise de água pela qual a Grande São Paulo passou. "São Paulo vai colapsar por falta de água se a gente não cuidar dos mananciais", disse certa vez ao irmão, Sergio.

Ela, ao menos, cuidou. Comprou um terreno em Extrema (MG) e trabalhou com o replantio da mata original, para preservar as nascentes. O esmero foi tanto que até animais que tinham sumido daquelas terras, como onças, voltaram a circular por ali.

Reprodução

Fernanda Falbo Bandeira de Mello em seu sítio na Serra da Mantiqueira.



Fernanda tinha duas características que podem soar antagônicas: adorava uma polêmica e ao mesmo tempo era conciliadora, diz Sergio. Segundo ele, ela parecia apenas querer ter razão, mas no fundo era uma habilidade para chegar ao objetivo – e estava sempre bem estudada para uma boa argumentação.

No último mês, Bandeira de Mello, foi homenageada pela Pick-upau e passou a figurar o Conselho Honorário da instituição. A próxima edição da revista Darwin Society Magazine é dedicada a economista e ambientalista.

Fernanda Falbo Bandeira de Mello faleceu, vítima de câncer gástrico, em 18 de outubro de 2017, aos 57 anos. Deixou a companheira de três décadas, a mãe Maria Francisca, o enteado Roberto, o irmão Sergio, uma sobrinha e o pássaro Billy. Fonte: Folha de S. Paulo
FERNANDA FALBO BANDEIRA DE MELLO (1959-2017)

Da Redação, com informações da Folha de S. Paulo
Fotos: Reprodução

 
 
 
 
Copyright 2018 - Pick-upau - Todos os direitos reservados - São Paulo - Brasil
 
     
 

Nas Redes

Quem Somos
  Pesquisa Científica
Reflorestamento e Produção Florestal
corporativo@pick-upau.org.br Mitigação de Mudanças Climáticas
55 11 3571-3480 CECFLORA - Centro de Estudos e Conservação da Flora
São Paulo - SP Negócios Sustentáveis
  Publicações
  Acervo Técnico
  Central de Educação e Jornalismo Ambiental