Patrocínio
 


 

Por que tantas aves estão morrendo no Novo México
Incêndios, seca e ondas de calor podem ser responsáveis, dizem os cientistas

13/10/2020 – Pesquisadores e voluntários registram um grande número de aves migratórias que estão caindo mortas no Novo México. Cientistas tentam descobrir o que está causando, o que já é considerada, uma das maiores perdas de aves no sudoeste dos Estados Unidos.

O mistério das mortes das aves se intensificou depois que pessoas começaram a encontrar esses animais em trilhas, estradas suburbanas e campos de golfe. Biólogos estão investigando se os incêndios florestais na costa oeste podem estar como um dos fatores das mortes. Ondas de fumaça podem estar alterando as rotas migratórias ou até aumentando as toxinas inaladas pelas aves.

Reprodução/Allison Salas/New Mexico State University

 



Ondas de frio vindas do este das montanhas ou a seca no sudoeste que reduziu drasticamente as populações de insetos, que são fonte de alimento de muitas aves migratórias, estão entre as causas estudadas por pesquisadores de universidades do Novo México e de outras partes dos Estados Unidos.

“Nunca vi nada assim no Novo México nos últimos tempos”, disse Martha Desmond, professora do departamento de peixes, vida selvagem e ecologia de conservação da New Mexico State University.

Segundo os pesquisadores, um dos primeiros alertas sobre a mortandade das aves ocorreu em 20 de agosto, quando um relatório informou o grande aumento de aves mortas encontradas em White Sands Missile Range, no sul do Novo México, disse Desmond. Desde então, os pesquisadores têm enviado alertas sobre mortes de aves migratórias, também no sul do Colorado e no oeste do Texas. Pesquisadores estimam que as mortes possam chegar a centenas de milhares.

Reprodução/Allison Salas/New Mexico State University

 



Trish Cutler, bióloga da White Sands Missile Range, informou a TV local, Albuquerque KOB, que no fim de semana, ao menos meia dúzia de aves migratórias foram encontradas mortas em uma área de teste de armas, em uma semana normal. “Na semana passada tivemos algumas centenas, então isso realmente chamou nossa atenção”, disse Cutler.

Moradores de diferentes partes do Novo México passaram a informar, cada vez mais, relatos semelhantes nos últimos dias. O jornalista Austin Fisher gravou um vídeo de aves mortas que encontrou em Velarde, durante uma viagem pelo Rio Grande. “Pensei comigo mesmo: Espere, nunca vi tantos animais mortos em um só lugar na minha vida'”, disse Fisher.

Jenna McCullough e Nicholas Vinciguerra, estudantes de doutorado em ornitologia da Universidade do Novo México, encontraram na área 305 aves, incluindo 258 andorinhas-verde-violeta. “Muitos deles têm pouca ou nenhuma gordura, muitos estão abaixo do peso e não há muitos sinais externos de que estão inalando muita fumaça”, disse McCullough.

Reprodução/Allison Salas/New Mexico State University

 



O pesquisador do Laboratório de Ornitologia Cornell, Andrew Farnsworth, observou que a morte começou antes da queda acentuada nas temperaturas no Novo México. Ele diz se tratar de um acontecimento singular "claramente um grande, grande evento" em um problema mais amplo que as aves migratórias enfrentam como a morte por ataques de gatos e colisões em estruturas.

“É diferente este ano do que nos outros anos. Tivemos muitos verões quentes, mas muito poucos tiveram esses incêndios em grande escala combinados com calor, combinado com seca”, diz Farnsworth.

Segundo Farnsworth, o material particulado ou de compostos tóxicos da fumaça pode ser determinante. Com referência dos padrões de migração das aves, foram registrados relatos semelhantes de aves mortas até no norte do México e "todo o caminho até as Montanhas Rochosas".

Reprodução/Allison Salas/New Mexico State University

 



Muitas espécies de aves foram encontradas mortas no Novo México nas últimas semanas, incluído toutinegras, andorinhas e papa-moscas. Segundo Tristanna Bickford, porta-voz do Departamento de Caça e Pesca do Novo México, será necessário tempo para que os pesquisadores consigam determinar, de forma conclusiva, a causa das mortes das aves.

Segundo Bickford, as autoridades do Novo México forneceram os espécimes das aves mortas ao National Wildlife Health Center em Wisconsin, para exames. Contudo, os diagnósticos podem levar meses para determinar a causa das mortes. “Isso definitivamente não é uma coisa normal”, disse Bickford.

Reprodução/Allison Salas/New Mexico State University

 



Criado em 2015, dentro do setor de pesquisa da Agência Ambiental Pick-upau, a Plataforma Darwin, o Projeto Aves realiza atividades voltadas ao estudo e conservação desses animais. Pesquisas científicas como levantamentos quantitativos e qualitativos, pesquisas sobre frugivoria e dispersão de sementes, polinização de flores, são publicadas na Darwin Society Magazine; produção e plantio de espécies vegetais, além de atividades socioambientais com crianças, jovens e adultos, sobre a importância em atuar na conservação das aves.

Da Redação, com informações do NY Times, The Guardian, Las Cruces Sun News
Fotos: Reprodução/Allison Salas/New Mexico State University

 
 
 
 
Copyright 2020 - Pick-upau - Todos os direitos reservados - São Paulo - Brasil
 
     
   

 

     
Patrocínio    
     
     
     
 

Nas Redes

Quem Somos
  Pesquisa Científica
Reflorestamento e Produção Florestal
corporativo@pick-upau.org.br Mitigação de Mudanças Climáticas
55 11 3571-3480 CECFLORA - Centro de Estudos e Conservação da Flora
São Paulo - SP Negócios Sustentáveis
  Publicações
  Acervo Técnico
  Central de Educação e Jornalismo Ambiental