Patrocínio
 


 

Nova Zelândia encontra 1.500 votos irregulares... em uma eleição de aves
Organização afirma que eleição de aves também é coisa séria


11/12/2020 – Não havia plataformas políticas, nem partidos, muito menos coligações. Os candidatos na verdade têm penas e a votação elegeria a ave do ano na Nova Zelândia. Mas como qualquer outra eleição, preocupação com a lisura e a segurança do processo não seria diferente.

A comissão organizadora da eleição, uma espécie de tribunal eleitoral das aves encontrou mais de 1.500 votos fraudulentos que foram registrados para a eleição anual de aves do país. A fraude fez com que o kiwi-malhado assumisse o topo da tabela de classificação provisoriamente, informou a organização ambiental Forest & Bird.

Reprodução

 



Os votos irregulares foram encontrados por uma comissão de avaliação e já foram removidos. Segundo a porta-voz da eleição, Laura Keown, os votos foram lançados através de emails falsos e também foram rastreados do mesmo IP, em Auckland, maior cidade da Nova Zelândia.

"É uma sorte termos visto este pequeno Kiwi tentando obter 1.500 votos extras sob o manto da escuridão", disse Keown em um comunicado. "Mas eles terão que seguir as regras como todos os outras aves para vencer a competição."

O Bird of the Year da Nova Zelândia acontece desde 2005 com objetivo de encorajar os neozelandeses a aprender sobre as aves daquele país e inspirá-los a preservar a vida selvagem na região.

Em 2020 já foram registrados 35.000 votos, o que permitiu aos eleitores classificarem até cinco aves de sua escolha. Cada cidadão pode votar uma única vez por email. Votos internacionais também são contabilizados.

Há dezenas de candidatos além do Little Spotted Kiwi (kiwi-malhado) que está quase extinto na Nova Zelândia continental, apesar de cerca de 1.200 indivíduos viverem na Ilha Kapiti, um santuário na costa de Wellington, capital neozelandesa; como o Morepork, o Piwauwau, o Hoiho conhecido como pinguim-de-olhos-amarelos, que está tentando a reeleição. Os organizadores lembram que não há limite de mandatos.

Reprodução/DOC

 



De acordo com Keown, o favorito era o toroa (Albatross Antipodean), uma ave marinha que possui um elaborado ritual de acasalamento. Em 2018, os organizadores já haviam identificado uma fraude com uma pessoa da cidade de Perth que votou 300 vezes no Shag. Em 2015, dois adolescentes tentaram fraudar votos a favor do kokato, uma ave canora ameaçada de extinção, segundo a emissora nacional Radio New Zealand.

Keown rejeita a pecha ao kiwi de que a fraude "não é o jeito Kiwi". "Como emblema nacional de Aotearoa, o kiwi-malhado representa os valores de democracia, justiça, igualdade e honestidade dos neozelandeses", diz a porta-voz.

O vencedor de 2020 foi o kakapo.

Criado em 2015, dentro do setor de pesquisa da Agência Ambiental Pick-upau, a Plataforma Darwin, o Projeto Aves realiza atividades voltadas ao estudo e conservação desses animais. Pesquisas científicas como levantamentos quantitativos e qualitativos, pesquisas sobre frugivoria e dispersão de sementes, polinização de flores, são publicadas na Darwin Society Magazine; produção e plantio de espécies vegetais, além de atividades socioambientais com crianças, jovens e adultos, sobre a importância em atuar na conservação das aves.

Da Redação, com informações da CNN
Fotos: Reprodução/DOC

 
 
 
 
Copyright 2020 - Pick-upau - Todos os direitos reservados - São Paulo - Brasil
 
     
   

 

     
Patrocínio    
     
     
     
 

Nas Redes

Quem Somos
  Pesquisa Científica
Reflorestamento e Produção Florestal
corporativo@pick-upau.org.br Mitigação de Mudanças Climáticas
55 11 3571-3480 CECFLORA - Centro de Estudos e Conservação da Flora
São Paulo - SP Negócios Sustentáveis
  Publicações
  Acervo Técnico
  Central de Educação e Jornalismo Ambiental