Patrocínio
 


 

Aldeia da Nova Zelândia apaga luzes de rua para que aves não caiam em estradas
Petréis têm caído em estradas da região confundindo luzes com peixes bioluminescentes


16/01/2021 – Um vilarejo da Nova Zelândia, na tentativa de salvar uma espécie rara de ave, tem inovado com uma estratégia de apagar todas as luzes da rua para evitar que filhotes se confundam e caiam na estrada. Conhecidos como petréis-de-westland (Procellaria westlandica), a espécie costuma se reproduzir ao longo de trecho de 8 km de floresta costeira, próximo de Punakaiki, uma cidade da Ilha do Sul, com menos de 100 habitantes, mas muito procurada por turistas pelas formações rochosas únicas.

Todos os anos, em março, cerca de 6.000 casais de petréis reprodutores chegam a região vindos da América do Sul. A migração é um evento para moradores que celebram com um festival. Os filhotes nascem em tocas nas encostas e saem para se alimentar em preparação para a longa viagem de volta para a América do Sul. Mas segundo as autoridades locais, muitos indivíduos desorientados acabam caindo na estada, onde muitas vezes são atropelados ou se tornam presas fáceis para predadores.


Reprodução/Bruce-Stuart-Menteath

 



Observadores de aves da região acreditam que o problema pode ter sido agravado pela troca de luzes LED azul-brancas na cidade no ano passado. Nesse sentido, as autoridades de transporte local concordaram com o desligamento localizado, ao longo de um trecho de 3,4 km da rodovia.

Bruce Stuart-Menteath, da organização Westland Petrel Conservation Trust, diz estar entusiasmado com a iniciativa. “Tem sido ótimo”. Ele que ajudou a recolher muitas aves nos últimos anos, agora recolheu apenas uma, com o apagão das luzes. . “Eu peguei apenas uma este ano. Normalmente, uma dúzia seria a norma.”

Segundo o Departamento de Conservação (DoC), agência responsável pela vida selvagem local, apenas 10 petréis pousaram na cidade este ano, em comparação com os 15 a 25 que chegam normalmente. Já em Greymouth, maior cidade da costa oeste, cerca de 44 km ao sul, o registro de aves que pousaram nas estradas é bem maior.


Reprodução/Bruce-Stuart-Menteath

 



“Este ano havia 22, em comparação com 10 sendo o número mais alto anteriormente - e pela primeira vez os estamos recebendo no CBD”, disse Darrell Haworth, guarda-florestal sênior da biodiversidade do DoC, em Greymouth.

Segundo Haworth, a iluminação é uma causa documentada de interferência na vida das aves. “Este é um problema particular em Punakaiki, porque fica perto da colônia de reprodução e é por isso que as luzes da rua foram desligadas este ano”.

Por outro lado “Não está claro se a iluminação pública é a causa direta de todas as aterrissagens forçadas das aves de Greymouth, no entanto, a maioria dos casos pode estar ligada à iluminação na área, incluindo luzes em empresas e outras propriedades privadas.”

“Onde os petréis desceram em Greymouth, conversamos com proprietários e outras pessoas com luzes na área para perguntar sobre o desligamento delas, sempre que possível.”


Reprodução/Bruce-Stuart-Menteath

 



O porta-voz do conselho distrital afirma que as luzes LED em tom azul podem estar interferindo nas aves e estão avaliando trocar as lâmpadas para um tom laranja. “Elas voam sobre o mar e, quando veem uma luz azul, mergulham”, diz Stuart-Menteath.

Segundo o DoC, os pétreis-de-westland mantém apenas uma colônia no mundo, por isso cada filhote é importante e necessário para a sobrevivência da espécie. Os moradores de Punakaiki estavam preocupados com os riscos de caminhar em trilhas sem iluminação, com isso as autoridades de transporte recomendam que as pessoas usem lanternas fracas, a maioria apoiou a mudança, afirma Stuart-Menteath.

Criado em 2015, dentro do setor de pesquisa da Agência Ambiental Pick-upau, a Plataforma Darwin, o Projeto Aves realiza atividades voltadas ao estudo e conservação desses animais. Pesquisas científicas como levantamentos quantitativos e qualitativos, pesquisas sobre frugivoria e dispersão de sementes, polinização de flores, são publicadas na Darwin Society Magazine; produção e plantio de espécies vegetais, além de atividades socioambientais com crianças, jovens e adultos, sobre a importância em atuar na conservação das aves.

Da Redação com informações The Guardian
Fotos: Reprodução/Bruce-Stuart-Menteath

 
 
 
 
Copyright 2021 - Pick-upau - Todos os direitos reservados - São Paulo - Brasil
 
     
   

 

     
Patrocínio    
     
     
     
 

Nas Redes

Quem Somos
  Pesquisa Científica
Reflorestamento e Produção Florestal
corporativo@pick-upau.org.br Mitigação de Mudanças Climáticas
55 11 3571-3480 CECFLORA - Centro de Estudos e Conservação da Flora
São Paulo - SP Negócios Sustentáveis
  Publicações
  Acervo Técnico
  Central de Educação e Jornalismo Ambiental