Patrocínio
 


 

Lyrebirds podem imitar sons de outras aves para enganar fêmeas
As aves-lira macho ‘mentem’ para conquistar parceiras, diz novo estudo


10/03/2021 – Famosos por seu mimetismo, os lyrebirds agora são destaque por seu comportamento para conquistar novas fêmeas. Pesquisadores conseguiram identificar que quando uma fêmea de ave-lira pretende deixar um macho que está tentando acasalar com ela, o pretendente imita um som de um bando de aves, emitindo uma espécie de alarme informando que há predadores na área. Tudo mentira.

"Quando a mulher tenta ir embora, pensamos que o homem está tentando dizer 'baby, é perigoso lá fora. Fique aqui comigo!'", Disse a autora principal do estudo, Anastasia Dalziell, da Universidade de Wollongong, em Nova Gales do Sul, na Austrália.

Reprodução/Wikipedia

 



Quando a Dra. Dalziell e seus colegas passaram a registra aves-lira nas Montanhas Azuis, em Nova Gales do Sul e na Floresta Sherbrooke, em Victoria, ambas na Austrália, o foco era registrar as imitações dos machos da espécie. "[Isso inclui] imitações de tordos-de-picanço-cinzento (Colluricincla harmonica), sibilante-dourado (Pachycephala pectoralis), kookaburras, whipbirds (Psophodes olivaceus) – lindos, líricos e barulhentos", disse a pesquisadora.

Para captar os sons, a equipe montou câmeras em volta dos “palcos de exibição” circulares no chão de terra que são rabiscados por aves-lira no solo da floresta, onde fazem suas apresentações de acasalamento.

"Ele faz uma canção especial e uma rotina de dança de três canções, cada uma associada a um conjunto único de movimentos de dança", explica Dalziell. Contudo, a fêmea costuma sair antes do acasalamento e todas as vezes que isso ocorria o macho mudava o tom do canto, registrou o experimento. "No momento em que ela sai do monte de exibição, ele para de fazer suas próprias canções", disse ela.

Reprodução/Maxpixel

 



Após as gravações, os pesquisadores analisaram as frequências da melodia e verificaram que se tratava de combinação acústica diferente de um “bando de mobbing".

Um bando de mobbing é acionado quando uma ave soa um alarme sobre a presença de um perigo ou um predador. Outras aves se juntam ao coro e perseguem o predador até que o perigo seja afastado do local. Segundo a pesquisa publicada na revista científica Current Biology, a impressão que as aves-lira têm desse bando é completa com diferentes vocalizações de inúmeras espécies, se comunicando uns com outros.

Segundo Dalziell, pesquisas anteriores já demonstravam que outras espécies de aves usam falsos alarmes para sua segurança, mas as vocalizações das aves-lira são "extraordinariamente complexas". “Não há nada parecido na literatura de um indivíduo imitando toda uma cena ecológica. É uma ilusão acústica ou como uma peça de rádio com uma pessoa inteligente sentada atrás do microfone, dando a impressão de uma festa inteira acontecendo”, explica a pesquisadora.

Reprodução/Maxpixel

 



Os pesquisadores utilizaram vocalizações de outras aves canoras que vivem no mesmo local das aves-lira para que pudessem afirmar suas descobertas. Incluindo as vocalizações e imitações do próprio lyrebird. Co isso os cientistas observaram que as aves canoras foram atraídas pela fonte de som, tanto pelos genuínos, quanto pelas imitações, do mesmo jeito que fariam em um bando real. "Pelo comportamento deles, era como se eles não pudessem ver a diferença", disse Dalziell.

Segundo Dalziell e seus colegas, a explicação mais provável para o mimetismo especializado do macho é que ele possa estar tentando enganar a fêmea e fazê-la pensar que se afastar do ato de acasalamento pode ser perigoso para ela. Para os pesquisadores esse tipo de mimetismo pode ter evoluído não porque as fêmeas o achem bonito, mas por representar uma forma de manipulação para acasalamento.

Reprodução/Wikipedia

Floresta Sherbrooke, em Victoria, na Austrália.



Criado em 2015, dentro do setor de pesquisa da Agência Ambiental Pick-upau, a Plataforma Darwin, o Projeto Aves realiza atividades voltadas ao estudo e conservação desses animais. Pesquisas científicas como levantamentos quantitativos e qualitativos, pesquisas sobre frugivoria e dispersão de sementes, polinização de flores, são publicadas na Darwin Society Magazine; produção e plantio de espécies vegetais, além de atividades socioambientais com crianças, jovens e adultos, sobre a importância em atuar na conservação das aves.

Da Redação, com informações da ABC Science e agências internacionais
Fotos: Reprodução/Maxpixel/Wikipedia

 
 
 
 
Copyright 2021 - Pick-upau - Todos os direitos reservados - São Paulo - Brasil
 
     
   

 

     
Patrocínio    
     
     
     
 

Nas Redes

Quem Somos
  Pesquisa Científica
Reflorestamento e Produção Florestal
corporativo@pick-upau.org.br Mitigação de Mudanças Climáticas
55 11 3571-3480 CECFLORA - Centro de Estudos e Conservação da Flora
São Paulo - SP Negócios Sustentáveis
  Publicações
  Acervo Técnico
  Central de Educação e Jornalismo Ambiental