Pegada Ecológica do Pick-upau planta 450 mudas no PEFI
Área em UC de São Paulo está sendo recuperada

Ativistas do Pick-upau e membros do Cientec (Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade de São Paulo) realizaram uma Pegada Ecológica para a recuperação de uma área degradada no Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, localizado na zona sul da capital paulista.

Durante a ação foram plantadas 450 mudas de espécies nativas da mata atlântica, conforme a resolução SMA 47 de 26 de novembro de 2003, onde aspectos como a sucessão da vegetação, as características ambientais da região, o risco da extinção e o limite mínimo de diversidade na legislação vigente do Estado de São Paulo foram observados.

Pick-upau/Divulgação
Ativistas do Pick-upau participam de Pegada Ecológica.

Entre as espécies plantadas na Pegada Ecológica estão: Pinheiro-brasileiro (Araucaria angustifolia), Pau-viola (Cytharexyllum myrianthum), Paineira (Chorisia speciosa), Cereja-do-rio-grande (Eugenia involucrata), Angico-branco (Anadenanthera colubrina), Jatobá (Hymenaea courbaril), Sucará (Xylosma ciliatifolium), Capixingui (Croton floribundus), Guabiroba (Campomanesia xanthocarpa), Agulheiro (Seguieria langsdorffi), Ingá-rosa (Inga sellowiana), Araçá-amarelo (Psidium cattleianum), Cambuí-laranja (Myrcia oblongata), Embiruçu (Pseudobombax grandiflorum), Canela Moscada (Cryptocarya moschata), Aroeira-pimenteira (Schinus terebinthifolius), Fruta-de-macaco (Pouteria caimito), Jerivá (Syagrus romanzoffiana), Açoita-cavalo-miúdo (Luehea divaricata), Juçara (Euterpe edulis), Ipê-amarelo-paulista (Tabebuia chrysotricha), Pau-cigarra (Senna multijuga).

Pick-upau/Divulgação
Pegada Ecológica promove recuperação de área degrada em uma Unidade de Conservação.

A Pegada Ecológica faz parte de uma parceria do Pick-upau, da Sabesp e do Cientec para a recuperação de uma colina no Parque Estadual das Fontes do Ipiranga que foi incendiada após a queda de um balão há cerca de três anos. O PEFI é considerado uma das três maiores e mais importantes áreas de mata atlântica da capital paulista e é conhecido por abrigar importantes instituições como o Jardim Botânico, o Instituto de Botânica, a Secretaria Estadual de Agricultura e Abastecimento, o Jardim Zoológico, o Zoo Safári e o Cientec.

Pick-upau/Divulgação
Uma das 2000 mudas que estão sendo plantadas no parque.

Sobre o Parque Estadual das Fontes do Ipiranga

Também conhecido como Parque do Estado ou Parque da Água Funda, o PEFI tem sua origem no século XIX, precisamente em 12 de setembro de 1893. A partir da Lei de 17 de agosto de 1892 que autorizava o reforço do abastecimento de água em São Paulo, resultou o Decreto Estadual nº 204 de 12 de setembro de 1893 que declarou de utilidade pública os terrenos da Bacia do Ribeirão Ipiranga, pertencente à época a diversos proprietários. O parque inicialmente englobava uma área de 6.969.000 m2, era, portanto 22% maior do que é hoje.

A área do parque evidência suas qualidades e riquezas naturais que o coloca ainda como referência na área dos conhecimentos científicos voltados para a botânica e a zoologia. Na década de 1920 instala-se no PEFI o Horto Botânico, hoje denominado Jardim Botânico.

Pick-upau/Divulgação
Ativista do Pick-upau participa de Pegada Ecológica.

Em 1942 a vocação do Parque reafirma-se com a criação do Departamento de Produção Animal-DPA, implantado através do Decreto-Lei nº 12.504 de 10 de janeiro de 1942. E com a reorganização do Departamento de Botânica em meados de 1946 é criada, em área transferida do DPA, a Escola de Horticultura da Diretoria de Ensino Agrícola. Pouco mais tarde, no mesmo ano, é criado o Instituto Astronômico e Geofísico (IAG), incorporado à Universidade de São Paulo através do Decreto nº 16.622, de 30 de dezembro de 1946.

Posteriormente, em 1953 a área da Escola de Horticultura é cedida ao Serviço Social do Estado. Cerca de duas décadas depois, em 1971, parte dessa área é transferida para o Centro Estadual de Agricultura.

Pick-upau/Divulgação
Vista de uma das áreas que estão sendo recuperadas.

Outras importantes alterações ocorrem na década de 1950, quando, através do Decreto 30.487, de 24 de dezembro de 1957, instala-se no parque o Hospital Psiquiátrico e o Departamento de Assistência aos Psicopatas.

Um ano depois, em 1958, é criada a Fundação Parque Zoológico de São Paulo. O Zoológico, por força da Lei nº 5.116, de 31 de dezembro de 1958, passa então a utilizar uma área transferida do Instituto de Botânica. Posteriormente, em 1963, o IAG, através da Lei nº 7.721, de 22 de janeiro de 1963, transfere mais uma área para a Fundação Parque Zoológico. Pouco mais tarde, em 1966, o IAG concede mais uma porção de seu terreno, desta vez para o Instituto de Botânica, que recebe está denominação em 1938.

Pick-upau/Divulgação
Ativista do Pick-upau participa de plantio no Parque Estadual das Fontes do Ipiranga.

Em 1969 a Siderúrgica Allipertti sofre uma ação de desapropriação através do Decreto 50.620, de 31 de outubro de 1969, para ampliação do Jardim Botânico.

No início dos anos 70 começam as obras da construção da Rodovia dos Imigrantes e muitas áreas foram incorporadas pelo DERSA. Há inclusive algumas áreas remanescentes, situadas depois das faixas de rodagem do que é hoje a Avenida Ricardo Jafet, que estão completamente dissociadas do PEFI, algumas inclusive invadidas.

Pick-upau/Divulgação
O biólogo Célio Paulo Ferreira passa instruções de plantio a todos os ativistas.

Em 1972, é criado o Parque Simba Safári, em área cedida pela Fundação Parque Zoológico para a iniciativa privada. Recentemente a concessão encerrou-se e a Fundação Parque Zoológico assumiu as atividades, alterando o sistema de gestão e a denominação para Zôo Safári, que continua sendo uma das atrações do PEFI.

Em 1974, através do Decreto nº 3628 de 7 de maio de 1974, a Fundação do Bem -Estar do Menor -Pró-Menor, denominada Fundação do Bem-Estar do Menor - FEBEM/SP, a utilizar a titulo precário, imóvel situado a Rua Ambores nº 145, então Instituto de Menores Dona Paulina de Souza Queiroz.

Pick-upau/Divulgação
A ativista Aline Sales registra as atividades da Pegada Ecológica.

Em 1975, o Instituto de Botânica sofre uma exclusão de parte de sua área em favor de herdeiros de Salomão Bumaruff - Processo nº 216/56 de 12 de abril de 1976, 1ª Vara da Fazenda Estadual. Ainda em 1975, o Instituto de Botânica transfere parte de sua área para a Fundação Parque Zoológico de São Paulo - Processo 71.555/75, transferência esta assegurada legalmente até a data de 31 de dezembro de 2008.

Em 2001, a área pertencente a Febem (Decreto 3.628, de 07/05/1974), é transferida para a Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social (Decreto nº 46.270, de 12/11/2001), onde foi criado o Centro de Esportes, Cultura e Lazer. Este Centro conta com um complexo esportivo e oferece um infocentro com acesso gratuito a Internet além de cursos profissionalizantes.

Pick-upau/Divulgação
Ativistas do Pick-upau participam de Pegada Ecológica.

Em 2001, o antigo Instituto Astronômico e Geofísico passou a se denominar Parque de Ciência e Tecnologia da USP e em 2004, através do Decreto 48.604/04 foi criado o Centro de Logística e Exportação (CELEX) com objetivo de apoiar as empresas com informações e fomento às atividades exportadoras do Estado de São Paulo. Fonte: CONDEPEFI
Saiba mais sobre o Condepefi

 
 
Copyright 2009 - Pick-upau - Todos os direitos reservados - São Paulo - Brasil
     
 

Nas Redes

Agência Ambiental Pick-upau
Quem Somos
  Pesquisa Científica
Reflorestamento e Produção Florestal
corporativo@pick-upau.org.br Mitigação de Mudanças Climáticas
55 11 3571-3480 CECFLORA - Centro de Estudos e Conservação da Flora
São Paulo - SP Negócios Sustentáveis
  Publicações
  Acervo Técnico
  Central de Educação e Jornalismo Ambiental