A poluição por plástico tornou-se uma das questões ambientais mais urgentes do planeta.
Veja o que mundo está fazendo para mudar esse cenário.

 

 
 
 
 

Esforços globais mostram que o progresso na poluição plástica é possível

Mas o mundo continua fora do caminho

 
 

06/11/2023 – Reino Unido – O maior esforço voluntário global para combater a poluição e os resíduos plásticos mostra que é possível fazer progressos numa questão ambiental premente, mas são agora necessárias medidas mais duras para conter a crise, de acordo com a Fundação Ellen MacArthur.

Desde 2018, mais de 1.000 organizações apoiaram o Compromisso Global, liderado pela Fundação em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, para impedir que as embalagens plásticas se transformem em resíduos.

Nos últimos cinco anos, as empresas signatárias – que representam 20% da indústria mundial de embalagens plásticas – superaram significativamente os seus pares quando se trata de tomar medidas positivas para combater os resíduos plásticos.

Reduziram substancialmente a utilização de vários artigos de plástico problemáticos e evitáveis, estabilizaram a utilização de plásticos virgens e mais do que duplicaram a sua quota de conteúdo reciclado.

Ao aumentarem a utilização de plásticos reciclados em 1,5 milhões de toneladas por ano, os signatários estão a deixar o equivalente a um barril de petróleo no solo a cada dois segundos – além de evitarem 2,5 milhões de toneladas de emissões de gases com efeito de estufa.


No entanto, com uma grande parte da indústria ainda sem tomar medidas e com as empresas signatárias provavelmente a falharem os principais objetivos para 2025, o mundo não está no bom caminho para eliminar os resíduos e a poluição de plástico, destaca a publicação “Global Commitment Five Years In” da Fundação Ellen MacArthur.

A Fundação prevê que 20 bilhões de embalagens flexíveis, como invólucros, bolsas e saquetas, acabarão no oceano até 2040, a menos que haja políticas vinculativas e medidas regulamentares mais ambiciosas, combinadas com uma maior ação empresarial.
Sander Defruyt, líder da Iniciativa de Plásticos da Fundação Ellen MacArthur, disse: “Os aprendizados do Compromisso Global nos últimos cinco anos mostraram que é possível fazer progressos significativos no sentido de manter os recursos fósseis no solo e os plásticos fora do oceano.”

“Quando demos os primeiros passos neste caminho, a ação sobre este tema era limitada. Os esforços desenvolvidos nos últimos cinco anos permitiram-nos dar um grande passo em frente. Sabemos agora que é possível progredir no combate aos resíduos plásticos à escala global e quais são os principais obstáculos que impedem novas mudanças.”

Reprodução/Pixabay

 



“Mas o mundo continua longe de resolver a crise da poluição plástica. O instrumento internacional juridicamente vinculativo sobre a poluição plástica atualmente em negociação, juntamente com uma ação empresarial acelerada, são agora necessários. Não podemos escolher entre nenhuma destas medidas – ambas são cruciais para garantir que o progresso seja levado mais longe e mais rapidamente.”

A Fundação – uma instituição de caridade internacional que desenvolve e promove a economia circular – afirma que as empresas signatárias demonstraram que é possível alcançar progressos significativos no combate aos resíduos plásticos através de um esforço coletivo e, no seu conjunto, o resto da indústria está atrasado.

Sheila Aggarwal-Khan, Diretora da Divisão de Indústria e Economia do PNUMA, saudou o progresso alcançado pelos signatários do Compromisso Global nos últimos cinco anos.
Ela disse: “Nos últimos cinco anos, o Compromisso Global demonstrou como a poluição plástica pode ser controlada, ao mesmo tempo em que esclarece os 'pontos problemáticos' que precisam de ser abordados para que o redesenho do sistema seja correto.

“Mais de metade (53%) dos governos signatários estabeleceram metas quantitativas para acelerar o progresso na reutilização e para promover a reformulação dos sistemas para favorecer alternativas mais recicláveis e, quando relevante, compostáveis.”

“A negociação em curso para um instrumento internacional juridicamente vinculativo é uma oportunidade para chegar a acordo sobre as regras, medidas e incentivos para um ambiente favorável ao fim da poluição por plásticos. Os governos, as empresas e todas as partes interessadas relevantes devem agir com unidade para garantir que não percamos esta oportunidade histórica.”

Para provocar mudanças globais, os líderes da indústria têm obstáculos importantes a superar em torno da expansão dos modelos de negócios de reutilização; combater os resíduos e a poluição de embalagens flexíveis, especialmente nos países com as mais elevadas taxas de fuga de plásticos; e o estabelecimento de infraestruturas para recolha, reutilização e reciclagem, apoiadas por políticas de Responsabilidade Alargada do Produtor (EPR).

A instituição de caridade destaca que o Compromisso Global continuará a servir como uma força chave na condução da ação voluntária e na informação e complemento do instrumento internacional juridicamente vinculativo que passará por uma terceira ronda de negociações em Nairobi, Quênia, no próximo mês (13-19 de Novembro).


NOTAS AOS EDITORES
Sobre a Fundação Ellen MacArthur
A Fundação Ellen MacArthur é uma instituição de caridade internacional que desenvolve e promove a economia circular, a fim de enfrentar alguns dos maiores desafios do nosso tempo, como as alterações climáticas, a perda de biodiversidade, os resíduos e a poluição.

Trabalhamos com a nossa rede de decisores dos setores público e privado, bem como com o meio acadêmico, para desenvolver capacidades, explorar oportunidades de colaboração e conceber e desenvolver iniciativas e soluções de economia circular. Cada vez mais baseada em energias renováveis, uma economia circular é impulsionada pelo design para eliminar resíduos, circular produtos e materiais e regenerar a natureza, para criar resiliência e prosperidade para os negócios, o ambiente e as pessoas.

Sobre o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA)
O PNUMA é a principal voz global sobre o meio ambiente. Proporciona liderança e incentiva a parceria no cuidado do ambiente, inspirando, informando e permitindo que as nações e os povos melhorem a sua qualidade de vida sem comprometer a das gerações futuras. Fonte: UNEP.

Da UNEP
Fotos: Reprodução/Pixabay

 
 
 
     
     
PARTICIPE    
 
ENVOLVA-SE   TOME UMA ATITUDE
O movimento Plastic no Thanks incentiva empresas, organizações, governos e sociedade civil a trabalhar para um mundo sem poluição plástica.   Precisamos agir e para isso teremos que unir esforços. O movimento Plastic no Thanks é uma ação que trabalha para livrar o planeta do lixo plástico.
     
     
 
 
 
   
UNIDOS PODEMOS
FAZER MUITO MAIS E MELHOR
O Plastic no Thanks espera que sua Empresa integre nosso movimento para reduzir e eliminar o lixo plástico do planeta. Cadastre sua Empresa e faça parte desta iniciativa.

 
 
 
     
     
COMECE AGORA    
 
VOCÊ FAZ A DIFERENÇA   SUAS ATITUDES
Conheça os signatários do movimento Plastic no Thanks. Junte-se a iniciativa.   Conte sua história! Fale para a agente o que você faz para reduzir o comsumo de plástico.
     
     
 
 
 
   
SOBRE O MOVIMENTO
PLASTIC NO THANKS
O Plastic no Thanks é um movimento que trabalha para eliminar ou ao menos reduzir a poluição de plástico no planeta, sobretudo aqueles de uso único, como embalagens e peças descartáveis, como copos e canudos.

 
 
 
 
     
     
PLASTIC NO THANKS CONHEÇA + PROJETOS
SIGA-NOS
 

 

 
 
Quem Somos
Signatários Programa de Compliance
Tome uma atitude Negócios Sustentáveis
Envolva-se Projeto Aves
Alianças Rede de Sementes e Mudas
Notícias Pesquisa Científica
Iniciativas Reflorestamento e Produção Florestal
Doar Mitigação de Mudanças Climáticas
FAQ Publicações
Contato Acervo Técnico
  Central de Educação e Jornalismo Ambiental
  Centro de Estudos e Conservação da Flora
  Muda no Mundo
  Eu Oceano  
 
Todos os direitos reservados. Plastic no Thanks 2021 - 2023. Agência Ambiental Pick-upau 1999 - 2023.